Acesso do Cliente

Insira seu usuário e senha para acesso ao controle de processos

Notícias

Cotação da Bolsa

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
França 0,43% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Segunda-feira - Montes C...

Máx
33ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Rio Pard...

Máx
33ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Rio de J...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Chuva

Segunda-feira - Belo Hor...

Máx
27ºC
Min
21ºC
Chuva

Segunda-feira - Igarapé...

Máx
26ºC
Min
21ºC
Chuva

Webmail

Acesso do Escritório

Liods: conselheira Daniela Madeira conhece laboratórios de inovação no DF

Conhecer as experiências desenvolvidas pelos tribunais com o objetivo de fortalecer a Política Nacional de Inovação instituída pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Essa foi a motivação da conselheira Daniela Madeira, coordenadora do Laboratório de Inovação, Inteligência e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Liods), em uma série de visitas encerrada nessa quinta-feira (23/5). “Os laboratórios são os principais catalisadores locais da Política, que buscam fomentar uma atuação transversal da inovação dentro dos tribunais, com foco no usuário final: o cidadão jurisdicionado”, observou. Na quarta-feira (22/5), a conselheira conheceu o Laboratório de Inovação Aurora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (AuroraLab/TJDFT). Os juízes auxiliares da Presidência da corte Eduardo Henrique Rosas e Francisco de Oliveira detalharam o funcionamento e os projetos desenvolvidos pelo AuroraLab. Ainda na quarta-feira, a coordenadora do Liods esteve na Advocacia-Geral da União, onde conheceu o Laboratório de Inovação (Labori), que tem como objetivo desenvolver soluções inovadores em produtos, serviços e processos que contribuam para o aprimoramento e segurança jurídica da ação estatal, com foco na sociedade. O procurador federal Bruno Portela destacou que “[…] a Conselheira Daniela trouxe para o Laboratório de Inovação da AGU, o Labori, a contextualização de como é trabalhado o Liods dentro da esfera do Poder Judiciário e como nós podemos nos integrar, buscar essa cooperação, integração entre sistemas e entre laboratórios públicos”. Pilares Já o STJ Lab, iniciativa capitaneada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), foi visitada pela equipe do CNJ na quinta-feira (23/5). “O CNJ entende a cooperação como um dos principais pilares da inovação, uma vez que viabiliza o compartilhamento de soluções entre os persos tribunais que porventura enfrentem os mesmos desafios institucionais. Não por outra razão que a colaboração entre Tribunais foi um dos principais destaques da Meta 9 do Poder Judiciário”, afirma a conselheira. Por fim, no mesmo dia, a conselheira esteve no Tribunal Federal da 1ª Região, onde conheceu o LabJF1. Atualmente com três projetos em atividade – “Zé da baixa”, Alei e SIB – o laboratório é uma incubadora de soluções, um ambiente adequado para encontros periódicos e dinâmicos, estudos, pesquisas, criação e desenvolvimento de projetos. Renovajud Renovajud é a Rede de Inovação do Poder Judiciário criada pelo CNJ para impulsionar a gestão da inovação de forma colaborativa, transparente, contínua e capaz de produzir novas soluções de impacto. A plataforma é um espaço para pulgar iniciativas e eventos voltados à rede. É também um repositório de boas práticas e projetos desenvolvidos por laboratórios, inclusive os relacionados à Meta 9 e ao Prêmio CNJ de Qualidade. Agência CNJ de Notícias Número de visualizações: 39
24/05/2024 (00:00)
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.