Acesso do Cliente

Insira seu usuário e senha para acesso ao controle de processos

Notícias

Cotação da Bolsa

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
França 0,43% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Montes Claros, MG

Máx
34ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Hoje - Rio Pardo de Mina...

Máx
33ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Hoje - Rio de Janeiro, R...

Máx
23ºC
Min
21ºC
Chuva

Hoje - Belo Horizonte, M...

Máx
26ºC
Min
21ºC
Chuva

Hoje - Igarapé, MG

Máx
26ºC
Min
20ºC
Chuva

Webmail

Acesso do Escritório

Fila no INSS: no interior do Sergipe, agricultores vivem drama à espera de auxílio-doença; veja no Profissão Repórter

Na próxima terça-feira (16), o  mostra a longa espera na fila do INSS que muitos brasileiros estão enfrentando para ter acesso aos benefícios do governo.O repórter Chico Bahia e o repórter cinematográfico Eduardo de Paula conheceram o drama de algumas famílias de agricultores que estão à espera do auxílio-doença a partir da visita a sindicatos de trabalhadores rurais em duas cidades do interior do estado de Sergipe.Em Feira Nova, encontramos Aldemir Santos, que sofreu um grave acidente de moto no início do ano, perdeu o movimento das pernas e ficou com a cognição comprometida. Em sua recuperação, é a mãe, Dona Maria Eunice Santos, quem lhe dá comida e cuida de sua higiene.Enquanto isso, o padrasto Gidalberto Santana está sobrecarregado. Ele precisa trazer dinheiro para casa, além de tocar sozinho a roça da família de onde tira parte da subsistência da família.“A gente está desde abril aguardando a perícia médica, e o atendimento ficou para setembro. Até lá, sem o auxílio, estamos passando necessidade”, conta Gidalberto.Em Malhador, conhecemos histórias como a do agricultor José Jaílson Alves, pai de três filhos, que perdeu a mobilidade do braço e não consegue trabalho nas lavouras, e a de Edna dos Santos, grávida de seis meses e mãe de outras duas crianças. Depois que um tumor na cabeça comprometeu sua mobilidade, ela depende da mãe e da sogra para conseguir se alimentar e cuidar da higiene pessoal.“Minha perícia está marcada para novembro, eu rezo pra que eu tenha saúde até lá. Enquanto isso, dependo da aposentadoria da minha mãe”, lamenta Edna.
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.