Acesso do Cliente

Insira seu usuário e senha para acesso ao controle de processos

Notícias

Cotação da Bolsa

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
França 0,43% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Montes Claros, MG

Máx
25ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Hoje - Rio Pardo de Mina...

Máx
22ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro, R...

Máx
24ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Hoje - Belo Horizonte, M...

Máx
23ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Hoje - Igarapé, MG

Máx
26ºC
Min
9ºC
Predomínio de

Webmail

Acesso do Escritório

15/04/2021 - 18h41Presidente do TJMG recebe listagem de processos de obras públicas paradasAções passíveis de conciliação foram identificadas pela AGE-MG

Programa Destrava Minas, de iniciativa do TJMG, reúne persas instituições em busca de soluções consensuais (Foto: Riva Moreira/TJMG) O Programa Destrava Minas, que pretende desemperrar entraves que impedem a retomada de obras públicas em Minas Gerais, entra em uma nova fase. O primeiro levantamento feito pela Advocacia-Geral do Estado (AGE) de obras públicas paralisadas, por problemas estruturais e/ou ambientais - suspensas por decisões judiciais liminares proferidas, no âmbito do TJMG - foi entregue nesta quinta feira (15/4) ao presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Gilson Soares Lemes. Estavam presentes o 3° vice-presidente, desembargador Newton Teixeira Carvalho, e o superintendente administrativo adjunto, desembargador José Arthur Filho. O levantamento foi entregue pelo advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa de Paula Castro, e pelo secretário de Estado de infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais, Fernando Marcato. O presidente Gilson Lemes disse que recebeu com muita satisfação o primeiro levantamento de processos, na perspectiva do programa Destrava Minas, entregue pelo advogado-geral Sérgio Pessoa e o secretário Fernando Marcato. O material ficará sob a responsabilidade do superintendente administrativo adjunto e do 3° vice-presidente, que vão iniciar os encaminhamentos para tentar promover a conciliação no âmbito dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs). “Com essa relação inicial de processos poderão ser agendadas audiências para destravar os empreendimentos. Isso é bom para quem vai realizar as obras e para o Estado, e desafoga o Judiciário”, disse o presidente Gilson Lemes. O desembargador José Arthur Filho, o secretário de Estado Fernando Marcato, o presidente Gilson Lemes, o advogado-geral do Estado e o 3º vice-presidente (Foto: Riva Moreira/TJMG) O Destrava Minas, que visa solucionar, de forma pacífica, a partir de diálogo entre as partes, conflitos judiciais envolvendo obras públicas paralisadas, conta com comitê interinstitucional formado por representantes do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Governo do Estado, Tribunal de Contas, Advocacia-Geral do Estado, Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais e Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais. O presidente destacou que “a mediação e a conciliação são formas adequadas de resolução de conflitos” e parabenizou a todas as instituições envolvidas nesse esforço de pacificação. “Nosso Cejusc está crescendo e o Tribunal de Justiça de Minas está sendo exemplo para todo o Brasil. O Destrava Minas é o primeiro programa de uma corte judicial que atende ao objetivo de melhorar a economia, reduzir processos e possibilitar a retomada de obras paralisadas que impactam no desenvolvimento econômico e social. Nesse novo projeto, mais uma vez, o TJMG sai na frente dos demais tribunais”, afirmou o presidente Gilson Lemes. Boas perspectivas O 3° vice-presidente, desembargador Newton Teixeira Carvalho, ressaltou que o Destrava Minas vai novamente colocar em prática a vocação autocompositiva do TJMG e retirar os obstáculos que impedem a retomada, liberando o caminho para melhorias importantes para a coletividade. “Marcaremos audiências de conciliação e mediação para essas obras paradas. Vamos tentar resolver o impasse para que essas construções sejam reiniciadas. Paralisadas, elas não só frustram a expectativa da população e de agentes públicos, causam prejuízo. De bom grado recebemos essa listagem para procurar um acordo no Cejusc o mais rapidamente possível”, disse o desembargador Newton Teixeira.   O superintendente administrativo adjunto, desembargador José Arthur Filho, frisou que o Destrava Minas “é um programa inusitado, único no Brasil, baseado numa ideia inovadora”. “Ele irá trazer frutos expressivos para o Estado de Minas Gerais e para a economia. É com entusiasmo que recebemos essas primeiras ações, que serão avaliadas pelo Cejusc. Tenho certeza de que serão muito exitosas, e vão destravar efetivamente, Minas Gerais, trazendo progresso e desenvolvimento ao Estado”. O advogado-geral do Estado disse que “é um momento importante de entrega”. Segundo Sérgio Pessoa, trata-se de um impulso inicial do Programa Destrava Minas. “Essa iniciativa do TJMG dialoga com outras entidades do sistema de Justiça, órgãos de controle e, sobretudo, com o Estado de Minas Gerais, permitindo a implantação de obras públicas preservando o diálogo e a possibilidade de conciliação naquelas questões que são submetidas ao Judiciário”, afirmou. Para o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, a data deve ser celebrada. “Estamos felizes e agradecidos de que o Tribunal de Justiça tenha tomado esta iniciativa. Sabemos que, por vezes, o que trava as obras de infraestrutura é o excesso de judicialização. Esta mudança de paradigma, voltada para a prevenção e a conciliação, liderada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, vai ajudar demais na infraestrutura do Estado.
15/04/2021 (00:00)
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.