Acesso do Cliente

Insira seu usuário e senha para acesso ao controle de processos

Notícias

Cotação da Bolsa

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
França 0,43% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Montes Claros, MG

Máx
32ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Rio Pardo de Mina...

Máx
32ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Rio de Janeiro, R...

Máx
26ºC
Min
23ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Belo Horizonte, M...

Máx
29ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Igarapé, MG

Máx
28ºC
Min
18ºC
Pancadas de Chuva a

Webmail

Acesso do Escritório

INSTITUCIONAL: Grupo de trabalho instituído pelo CNJ analisa sugestões para aplicação da Lei 13.964/2019

O grupo de trabalho da Lei 13.964/2019, instituído pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministro Dias Toffoli, para estudar a estruturação e implementação no Poder Judiciário do juiz das garantias e do julgamento colegiado de 1º grau, já está analisando as sugestões recebidas por meio de consulta pública. A consulta tem como objetivo ouvir os tribunais, as associações de juízes, os magistrados, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Defensoria Pública da União (DPU) e o Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais (Condege), para o recebimento de sugestões e informações que subsidiarão o grupo nos estudos sobre os efeitos da nova lei e nas propostas para sua implementação. Coordenado pelo corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, o grupo vem se reunindo internamente desde que foi instituído. A Portaria n. 214/2019, que criou a comissão de estudos, fixou a data de 15 de janeiro para a elaboração do levantamento sobre os efeitos da aplicação da nova norma e, segundo Humberto Martins, o grupo está trabalhando para cumprir o prazo estipulado. “Qualquer prorrogação, seja para a consulta pública ou mesmo para a conclusão dos trabalhos do grupo, é da competência do presidente do CNJ. Até o momento, estamos trabalhando com os prazos fixados na Portaria n. 214/2019”, disse Humberto Martins. Fonte: CNJ Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região  
13/01/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.